Localizado ao sul e ocupando uma porção referente a quase um terço de Portugal, a região vitivinícola do Alentejo é caracterizada por extensas planícies ondulantes, divididas em oito sub-regiões que hoje representam a maior parte dos vinhos elaborados no país, ultrapassando os 80 milhões de litros. Além disso, essa parte do país é conhecida mundialmente pela típica gastronomia e produção de azeite de oliva.
No que diz respeito aos vinhos, a maior parte proporciona aromas intensamente frutados e paladar macio e estruturado.
Seu solo é basicamente composto por xisto e algumas frações de areia, ocasionando no perfeito enraizamento das plantas, boa drenagem e preservando a acidez natural da fruta, embora durante o período de maturação a região tenha muitas horas de sol.
A tecnologia introduzida por lá nos últimos anos, tornou possível a produção de excelentes vinhos: desde tintos ricos até brancos delicados, denominados “Vinhos Regionais Alentejanos”.
O legado da região fica por conta das parreiras centenárias que qualificam e valorizam os vinhos produzidos no Alentejo. As castas brancas mais abundantes ali são: Fernão Pires, Perrum, Antão Vaz, Arinto e Roupeiro. Já as tintas principais são Alfrocheiro, Alicante Bouschet, Castelão, Aragonez,Trincadeira e Touriga Nacional.