A história da produção do vinho na Argentina começou até que há bastante tempo atrás, nos anos de 1500, mas foi apenas recentemente, a partir de 1800, que o processo se tornou mais profissional.
A produção de vinho argentinos remonta a 1.536 quando o padre Juan Cedrón plantou em Santiago del Estero as primeiras videiras da Espanha, trazidas da cidade chilena de La Serena.
O propósito do clero era usar o vinho no ritual católico da Missa.
Os religiosos introduziram cepas ao final do séc. XVI pelo Rio de la Plata tornando a área de Concórdia um importante centro de produção.
Ao final do séc. XVIII, as províncias de Mendoza e San Juan iniciaram o cultivo das uvas.
Domingo Faustino Sarmiento, ex presidente argentino, foi o responsável pelo cultivo das primeiras cepas francesas por volta de 1853, quando, durante sua presidência, encomendou ao agrônomo francês Aimé Pouget replicar em Mendoza o que havia de cepas plantadas no Quinta Normal, na capital do Chile: botões de Cabernet, o Malbec e o Merlot.